CHECK THIS OUT

WE´RE ON SOCIAL MEDIA

SIGN OUR NEWSLETTER

SPONSOR

cigas.png

PRESENTED BY

LOGO_SEC.png
LOGO_GOV_AM.png

SECRETARIA ESPECIAL DA

CULTURA

MINISTÉRIO DA

CIDADANIA

Workshops, oficinas e palestras

Inscrições Gratuitas

PALESTRA: IMPROVISAÇÃO E PEDAGOGIA MUSICAL
SINOPSE:
A improvisação como elemento estruturante na elaboração do discurso musical dentro no idioma jazzístico.
LOCAL: UEA
DATA E HORA: 21/03, 10h–11h30 
PÚBLICO DE INTERESSE: Geral
Nº DE VAGAS: 200
PALESTRANTE: Prof. Ed Sarath
O compositor e instrumentista é o fundador do departamento de jazz da Universidade de Michigan, bem como do Programa de Improvisação e Estudos Comtemplativos. Entre os livros publicados contam-se Black Music Matters, bem como, Music Theory Through Improvisation.Tem trabalhos gravados de suas obras com a London Jazz Orchestra, tendo atuado com grandes nomes como Dave Liebman, para citar apenas um. Entre suas composições contam-se também peças para coral e orquestra sinfônica. É presidente da ISIM - International Society for Improvisation.

21/03 – Sábado

PALESTRA: JAZZ: CRÍTICA E JORNALISMO
SINOPSE:
O papel da crítica especializada perante os novos cenários da mídia.
LOCAL: Centro Cultural Palácio da Justiça – Sala de Cinema
DATA E HORA: 21/03, 15h–16h
PÚBLICO DE INTERESSE: Geral
Nº DE VAGAS: 80
PALESTRANTE: Carlos Calado

Jornalista colaborador dos jornais Folha de São Paulo e Valor Econômico. Com vários livros publicados (O Jazz como Espetáculo – sua tese de mestrado na ECA/USP –, foi seu primeiro título, editado pela Perspectiva, sua tese de mestrado na ECA/USP). Calado cobriu dezenas de festivais de jazz ao longo de sua carreira que abrange mais de três décadas.

WORKSHOP: PERCUSSÃO BRASILEIRA
SINOPSE:
A percussão brasileira nos instrumentos do samba.

OFERECIMENTO: Contemporânea Instrumentos Musicais.
LOCAL: Centro Cultural Palácio da Justiça – Sala de Piano
DATA E HORA: 21/03, 16h45–18h
Nº DE VAGAS: 80
PALESTRANTE: Marcos Eguleba e Vinícius Barros
Marcos Esguleba é um dos mais requisitados percussionistas brasileiros em sessões de gravação, tendo atuado com Zeca Pagodinho, Martinho da Vila, Elza Soares e Beth Carvalho, entre muitos outros. Vinícius Barros é chefe do naipe de percussão da Orquestra Jazz Sinfônica de SP tendo concluído mestrado na Unesp/SP em música/percussão, com trabalho sobre o percussionista Armando Marçal e a bateria de escola de samba. Ativo como profissional conta em seu currículo com participações em grupos de Vana Gierig, Jungle Jazz e Paquito D’Rivera, entre muitos outros, além de ministrar palestras sobre percussão brasileira mundo afora regularmente.

1/2

PALESTRA: ECONOMIA CRIATIVA
SINOPSE: Subsídios para uma ação estratégica no campo artístico perante os desafios lançados pela nova economia.
LOCAL: Centro Cultural Palácio da Justiça – Sala do Júri
DATA E HORA: 21/03, 16:45–18:00
PALESTRANTE: Marcelo Coelho

Pós doutorado em Música, Coelho acumula extenso currículo não apenas como músico e acadêmico, mas também como educador e agente cultural o que o credencia a apresentar nesta palestra reflexões sobre o fazer artístico e o mercado face aos desafios propostos pela nova economia.

WORKSHOP: BATERIA BRASILEIRA NO JAZZ
SINOPSE:
A síntese do uso da rítmica brasileira no idioma jazzístico contemporâneo.
LOCAL: Centro Cultural Palácio da Justiça – Sala de Piano
DATA E HORA: 22/03, 10:00–11:30
FACILITADOR: Maurício Zotarelli

Residente em Nova Iorque, Zotarelli atuou com grandes nomes como Hiromi, Eliane Elias, Toquinho, Lee Ritenour, Dave Grusin, Esperanza Spalding, Eddie Daniels, Richard Bona, Paquito D’Rivera, Ivan Lins, Rosa Passos, Dom Salvador, Toninho Horta, entre outros, sendo um dos bateristas brasileiros mais atuantes em todo o mundo, tendo sido eleito pelo ‘The Best Jazz Of 2016’, na lista ‘The 38th Annual Jazz Station’, como um dos melhores bateristas em atividade no momento.

22/03 – Domingo

WORKSHOP: RITMOS DO NORTE DO BRASIL APLICADOS À BATERIA
SINOPSE:
A aplicação da rítmica amazônica à bateria, do beiradão ao mar abaixo.
LOCAL: Centro Cultural Palácio da Justiça – Sala de Piano
DATA E HORA: 22/03, 15:00–16:30
FACILITADOR: Airton Silva

Residente em Manaus, é baterista da Amazonas Band e da OBA – Orquestra de Beiradão do Amazonas, sendo o mais requisitado nome para sessões de gravação em Manaus. Atuou com nomes que incluem Dave Liebman, Bob Mintzer,John Fedchcock, Cláudio Roditi, Leila Pinheiro, Mauro Senise, Gilson Peranzzetta, Ed Sarath, Daniel Barry, Vinícius Dorin, entre outros. É também ativo no campo educacional, lecionando no LAOCS – Liceu de Artese e Ofícos Cláudio Santoro, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Amazonas.

PALESTRA: O CORPO A SERVIÇO DA SUBJETIVIDADE
SINOPSE:
“Tem coisas que nos deixam sem palavras. E tem coisas que as palavras não dão conta de dizer. É aí que entra a dança” (Pina Bausch). Gosto de pensar que coreografia é a criação de trilhas ou roteiros de movimentos que compõem uma dança dramática, e que o ato de coreografar é uma forma de desenhar ou organizar o espaço com o movimento corporal. Existem várias formas de dançar e diversos são os motivos que provocam coreografias. Comumente, as pessoas organizam suas danças a partir da particularidade das suas experiências corporais, de suas emoções e utilizando-se de gestos universais. São experimentações muito especificas onde se busca atender a apelos sociais ou artísticos e subjetivos – onde o próprio indivíduo significa, contextualiza e atua.  Saí, coreografias podem surgir de improvisos catárticos - espontâneos ou induzidos, mas ao serem repetidas as atitudes corporais e os caminhos das cartografias da memória, os processos se transformam em partituras com materialidade explicita”. Rui Moreira.
LOCAL: UEA

DATA E HORA: 22/03, 15:00–16:30
FACILITADOR: Rui Moreira

Bailarino, coreógrafo e investigador de culturas. Atuou nas Cias. Cisne Negro, Balé da Cidade de São Paulo, Seráquê?, Azanie (França) e Grupo Corpo. Atualmente realiza o projeto intitulado Rui Moreira Cia de Danças. Espaço criativo e produtivo que acolhe projetos coletivos, de artistas com trajetória autoral. Sua formação de dança de abrange dança clássica, técnicas de dança moderna e danças da contemporaneidade. Tem vivencias em danças africanas de diversos países e danças populares brasileiras. É graduando do curso de Licenciatura em Dança na UFRGS. Coreografou para diversos elencos, dentre eles a São Paulo Cia de Dança, Ballet do Teatro Guaíra, Cisne Negro Cia de Dança e Cia de Dança do Amazonas. Sua atuação foi reconhecida e premiada pela crítica especializada através dos prêmios, APCA Associação Paulista dos Críticos de Arte; Medalha da Inconfidência pelo Governo de Minas Gerais, pela profícua atuação artística e social em todo território nacional e nos países onde levou os valores da cultura do Brasil; e Comenda de Mérito Artístico concedida pelo SATED MG pelo conjunto de sua obra artística. Compõe o conselho curador do Festival de Dança de Joinville.

WORKSHOP: CAPTAÇÃO DE ÁUDIO PARA TRANSMISSÕES ÁUDIOVISUAIS E EM STREAMING
SINOPSE:
A técnicas e abordagens para a transmissão de áudio em streaming e em formatos áudio-visuais.
LOCAL: UEA
DATA E HORA: 23/03, 10:00-11:30
FACILITADOR: Clément Zular

Engenheiro de gravação e áudio, Clément Zular atua como projetista em acústica. Experiência em direção técnica, de sonorização e de palco. Participa do Festival Amazonas Jazz desde a sua 1ª edição. Especializado em gravação de música erudita, orquestras, coros, jazz, ao vivo ou em locação. Gravação e finalização de trilhas orquestrais para cinema (film scoring) e musicais. Gravação, mixagem e finalização de shows e eventos ao vivo. Produção e produções especiais. Alguns artistas e projetos com quem trabalhou: trilhas orquestrais Rede Globo, Pluft, Pelé, A Origem, Coral Bradesco, Orq. Heliópolis, Orq. Concertgebouw Amsterdam, Filarmônica de Munique - Zubin Mehta, Orq. Sinf. de Sergipe, Alvaro Siviero, Emmanuelle Baldini, Cristian Budu, Camerata Aberta, Filarmônica De Praga, Marcelo Giannini, Metais Orq. de NY, Orq. Bachiana, Osusp, Orq. Jovem do Estado, Orq. Tom Jobim, Banda Sinf. do Exército, Banda Sinf. Jovem do Estado De SP, André Abujamra, Tim Rescala, Hermeto Paschoal, Cblol, Alessandra Maestrini, Dominguinhos, Palavra Cantada, Barbatuques, Mawaca, Capital Inicial, Begin Japan formado pela escola municipal de música de São Paulo, SP. Eefetuou palestras diversas em convenções e seminários de áudio. É membro da Sociedade Brasileira de Acústica, membro da ABPAUDIO - Associação Brasileira dos Profissionais de Áudio -, assim como Daiaes Audio Engineering Society.

23/03 – Segunda

PALESTRA: ECOMUSICOLOGIA
SINOPSE:
Uma panorâmica sobre o estudo da ecomusicologia, com ênfase em pesquisas desenvolvidas pela palestrante sobre a diversidade cultural amazônida.
LOCAL: UEA
DATA E HORA: 23/03, 15:00–16:30
PALESTRANTE: Karine Aguiar

Cantora e pesquisadora, é doutoranda em ecomusicologia na Unicamp – Universidade de Campinas –SP.

WORKSHOP: TIPO HANDS ON: RAP E JAZZ
SINOPSE:
Criação coletiva, da qual o público é convidado a participar, a partir de uma experiência que conjuga elementos do jazz e do rap.
LOCAL: Teatro da Instalação – Palco
DATA E HORA: 24/03, 10:00-11:30
PALESTRANTE: Marcelo Coelho e Mclav.In, Mc Kamau e Dj Raffa Santoro

Kamau define-se como rapper, matemático e skatista profissional. Nascido em São Paulo iniciou sua carreira em 1997, sendo considerado um dos grandes nomes da cena rapper. Cláudio Raffaelo Santoro, o dj Raffa Santoro, é filho do compositor amazonense Cláudio Santoro. Nasceu no rio e reside em Brasília. É considerado figura chave na inserção do DF na cena rapper e de hip hop atuando desde a década de 80. Respeitado nacionalmente, dj Raffa juntou as influências da música clássica e da bossa nova — que ouvia em casa com os pais, o maestro Claudio Santoro e a bailarina Gisele Santoro — ao som marginal que reverberava nas ruas periféricas do DJ. Com o lendário grupo dj Raffa e os Magrellos, gravou o terceiro LP de rap do país, a ousadia do rap de Brasília, e foi o primeiro a romper a barreira do eixo Rio-São Paulo e conseguir trazer visibilidade para o hip-hop feito na capital federal.

24/03 – Terça

1/3

WORKSHOP: A ILUMINAÇÃO CÊNICA COMO INSTRUMENTO DE VALORIZAÇÃO VISUAL
SINOPSE:
Análise estética e técnica acerca da criação e desenvolvimento de “Ritos de Passagem”, espetáculo de abertura do X FAJ sob o ponto de vista da iluminação cênica. A luz alinhavando o conjunto da obra; a escolha dos equipamentos a partir de suas especificidades técnicas e funções; a escolha das cores; a relação com o figurino, com a cenografia e as trocas com a equipe de criação; a relação com a música e as referências propostas. a função da iluminação e o papel do iluminador em espetáculos musicais, shows e eventos que envolvam música ao vivo em geral. Dança, teatro, orquestra, performance etc. o trabalho do iluminador; conceitos de iluminação cênica; fundamentos básicos para a criação de um desenho de luz.
LOCAL: UEA
DATA E HORA: 24/03, 10:00-11:30
PALESTRANTE: Fernanda Mattos de Souza

Amazonense, formada em Publicidade e Propaganda pela Pontifícia Universidade Católica – Rio de Janeiro em 2006 e mestre em Artes Cênicas pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2018. Iniciou sua trajetória nas artes cênicas no Teatro Amazonas, em Manaus, participando dos principais festivais e eventos de 2011 a 2013. Mudou-se, em 2013, para o Rio de Janeiro, onde trabalhou com importantes iluminadores brasileiros, entre os quais Jorginho de Carvalho, Luiz Paulo Nenen e Aurélio de Simoni. Foi iluminadora assistente, operadora de luz e técnica de iluminação de vários trabalhos dentre os quais se destacam "Sonhos de um Sedutor", “Dona Saudade”, “Jazz do Coração”, “Autobiografia Autorizada”, “Nefelibato”, “Belle”, “Nó”, assinando seus próprios projetos de iluminação, foi responsável pelo show “Paz na Pele”, “Só Por Hoje”, “Kinky Boots”, “Ponto de Vista”, “Ananse e o Baú de Histórias”, entre muitas outras. A experiência acumulada permitiu-lhe trabalhar com grandes nomes da cena brasileira como Paulo Betti e Deborah Colker.

WORKSHOP: PANDEIRO JAZZ
SINOPSE:
Técnicas de pandeiro em diversas situações.

OFERECIMENTO: Contemporânea Instrumentos Musicais.
LOCAL: Centro Cultural Palácio da Justiça – Sala do Piano
DATA E HORA: 24/03, 15:00–16:30
OFICINEIRO: A ser designado

MASTER CLASS: SAXOFONE E IMPROVISAÇÃO
SINOPSE:
O workshop pretende abordar subsídios técnicos para a interpretação e a improvisação no saxofone.

LOCAL: UEA
DATA E HORA: 24/03, 15:00–16:30
PALESTRANTE: Rodrigo Ursaia

Saxofonista, flautista e compositor, é bacharel pela Berklee School of Music, Boston, mestre pela Manhattan School of Music em NY, e foi recipiente da 'Bolsa Virtuose' do MINC em 2000. Foi professor da Unicamp e do conservatório de Tatuí. Leciona atualmente na Faculdade Souza Lima. Apresentou palestras na Iowa Univ., Global Encounters/Carnegie Hall e na Hartt School of Music, além de atuar como Teaching Artist pela renomada Midori Foundation em NY. Tocou já com importantes artistas, como Milton Nascimento, Rosa Passos, Ivan Lins, João Bosco, Banda Mantiqueira, Grupo Pau Brasil, Toninho Horta, Nelson Ayres, Dom Salvador, Cláudio Roditi, Heraldo do Monte, Arismar do Espírito Santo, David Berkman, Joe Martin Rodrigo Ursaia Quinteto e 'O Espantalho' com Daniel Marques/Rodrigo Ursaia Duo. Ao lado de Rosa Passos, tocou em turnês pela Europa, Eua e Ásia, em palcos como Lincoln Center, Blue Note NY, Umbria Jazz e Copenhagen Jazz Festival entre outros. Participou da gravação dos CDs ‘Canta Caymmi’, ‘Amorosa’ e ‘Samba Dobrado’ de Rosa Passos e ‘The Art of Samba Jazz’ de Dom Salvador, com o qual recebeu o prêmio da música brasileira - ‘Melhor CD Instrumental’ (2012).

25/03 – Quarta

PALESTRA: O BEIRADÃO
SINOPSE:
Uma abordagem etnomusicológica sobre o gênero amazônico conhecido como beiradão.

LOCAL: UEA
DATA E HORA: 25/03, 10:00–11:30
PALESTRANTE: Ênio Prieto

PALESTRA: A EXPERIÊNCIA CLAM
SINOPSE:
A palestra, aborda metodologias de ensino de música popular no CLAM – Centro de Livre Aprendizagem Musical em São Paulo, instituição pioneira brasil, no ensino de música popular.

LOCAL: UEA
DATA E HORA: 25/03, 15:00–16:30
PALESTRANTE: Amilton Godoy

É um nome superlativo da música brasileira. Pianista respeitado internacionalmente, Amilton Godoy integrou por décadas o lendário Zimbo Trio, um grupo que fez escola na música instrumental do Brasil. Desde suas antológicas gravações com Elis Regina, até os dias de hoje, Amilton nunca parou de evoluir musicalmente. Amilton Godoy foi o fundador de uma das primeiras instituições no Brasil dedicadas ao ensino do jazz moderno, o CLAM, Centro de Livre Aprendizagem Musical, em São Paulo, SP. É sobre essa experiência pioneira, e as abordagens por ela exigidas, que versará a palestra a ser apresentada por Amilton Godoy na programação acadêmica do Festival Amazonas Jazz.

MASTER CLASS: FREE JAZZ
SINOPSE:
Apresentação e dinâmica com Frode Gjerstad sobre o movimento free jazz na Europa e o papel do jazz escandinavo na cena contemporânea.

LOCAL: Teatro da Instalação
DATA E HORA: 25/03, 16:45-18:00
PALESTRANTE: Frode Gjerstad

Frode Gjerstad é um saxofonista de jazz norueguês. Notabilizou-se pela sua incursão na corrente free jazz, tendo colaborado com nomes de primeira linha do jazz europeu como Paal Nilssen-Love, Borah Bergman, Peter Brötzmann, Evan Parker, Derek Bailey, Bjørn Kjellemyr, Terje Isungset, William Parker, Sabir Mateen, John Stevens, Johnny Dyani, Kent Carter. Participou de mais de 50 discos. Entre 1981 e 1994 tocou com o baterista britânico John Stevens, com quem gravou 14 CDs. Fundou e dirigiu a banda Circulasione Totale Orchestra, que se apresentou em vários festivais. Atua com regularidade na Escandinávia, no continente europeu, nos Eua e na América do Sul.

MASTER CLASS: JAZZ TROMBONE
SINOPSE:
Tópicos sobre interpretação do trombone no idioma jazzístico, apresentado por um dos mais renomados trombonistas de jazz e professores da atualidade.

LOCAL: UEA
DATA E HORA: 26/03, 10:00–11:30
PALESTRANTE: John Fedchock

Além de virtuoso do trombone, John Fedchock é considerado um dos grandes arranjadores da história do jazz, tendo alcançado notoriedade como responsável pelos arranjos da lendária Big Band de Woody Herman. Nomeado para o Grammy por seus arranjos para Woody Herman, Fedchock foi durante anos o lead trombone de Woody Herman, que o chamava de seu “Braço Direito”. São de sua autoria os arranjos do disco gravado em 1984 por Woody Herman, celebrando os 50 anos de sua Big Band. Fedchcock também trabalhou com alguns dos mais notáveis músicos da história do jazz, entre os quais se incluem nomes como T.S. Monk, Gerry Mulligan Concert Jazz Band, Louie Bellson Big Band, Bob Belden Ensemble, Manhattan Jazz Orchestra, Jon Faddis Jazz Orchestra e a Carnegie Hall Jazz Band. Nascido em Cleveland, Ohio, John Fedchock graduou-se pela Ohio State University, tendo obtido posteriormente um mestrado em Jazz Studies and Contemporary Media na prestigiosa Eastman School of Music, Rochester, New York.

26/03 – Quinta

WORLSHOP: HANDS ON – LATIN JAZZ
SINOPSE:
Um master class sobre latin jazz apresentado pelos instegrantes do Triumvirate, no qual o público será convidado a participar.

LOCAL: Instalação
DATA E HORA: 27/03, 15:00–16:30
PALESTRANTE: Edsel Gomez e Triumvirate

Nascido em Porto Rico, Edsel morou por mais de uma década no Brasil. Antes, havia residido em Boston, MA, Eua, onde estudou na prestigiosa Berklee School of Music. De volta a Nova Iorque, após a sua longa temporada no Brasil, teve seu nome nomeado para o Grammy pelos trabalhos realizados com a cantora de jazz Dee Dee Bridgewater, de quem foi o diretor artístico por muitos anos. Também trabalhou com alguns dos mais proeminentes nomes do jazz latino, como Eddie Palmieri e o trompetista Brian Lynch. Triumvirate é um grupo de Latin Jazz e o seu baterista Robby Ameen é autor de um clássico do estudo da rítmica afro-cubana aplicada à bateria: Funkyfiing The Clave.

27/03 – Sexta

MASTER CLASS: GUITARRA
SINOPSE:
Abordagens técnicas da guitarra no idioma jazzístico e popular brasileiro.

LOCAL: UEA
DATA E HORA: 27/03, 10:00–11:30
PALESTRANTE: Bruno Mangueira

Nascido em Vitória, es, em 1978, atua como guitarrista, compositor e arranjador. Estudou na Unicamp, SP na qual concluiu os cursos de bacharelado, mestrado e doutorado em música. Atualmente cursa pós doutoramento na universidade de Cinccinati, Ohio, nos Eua. Residiu em São Paulo e Nova Iorque, tendo sido convidado a lecionar na Universidade de Cincinnati, Eua. Gravou e tocou com Zizi Possi, Leila Pinheiro, Toninho Horta, Nelson Ayres, Gilson Peranzzetta, Paulo Jobim, Alaíde Costa, Jamelão, Filó Machado, Vinícius Dorin, Sizão Machado, Helio Alves, entre muitos outros. Desde 2011, é professor do departamento de música da Universidade de Brasília (Unb), onde coordena o projeto de extensão "Música Popular Unb" e o Laboratório De Guitarra e Música Popular (LGMP). Em 2018 gravou dois CD’s nos Eua com os pianistas Phill de Gregg e com Otamar Ruiz.

MASTER CLASS: TROMPETE
SINOPSE: Abordagens técnicas de interpretativas do trompete no idioma jazzístico e popular brasileiro.

LOCAL: UEA
DATA E HORA: 28/03, 10:00–11:30
PALESTRANTE: Daniel D’Alcântara

Iniciou seus estudos musicais com seu pai, o trompetista Magno D’Alcântara. Formado em trompete pela USP, iniciou sua carreira em 1992 na orquestra experimental de repertório, em São Paulo, SP. posteriormente trilhou o caminho da música popular, tocando com grandes nomes como João Donato, Roberto Menescal, Ivan Lins, Leny Andrade, Joyce, Claudete Soares, Filó Machado, Rosa Passos e Milton Nascimento entre muitos outros nomes. em 2003 integrou o noneto de lee konitz. Como solista convidado da Orquestra Jazz Sinfônica, participou de duas estreias mundiais, "Thaddeus", de Alexandre Mihanovich e "Brasilianas no.4", de Cyro Pereira, sob a regência do próprio compositor. Em 2007 participou da Big Band formada por músicos brasileiros para executar as obras da maestrina e compositora Maria Schneider, sob regência da própria. Educador, tem lecionado em diversos festivais no Brasil e na Europa.

28/03 – Sábado

FESTIVAL AMAZONAS JAZZ

INGRESSOS À VENDA